Expectativas para o UFC 158

Por: Ivo Gomes

16 de Março no Bell Centre, Montreal em Canadá, 19h

GEORGES ST. PIERRE 23 - 2 - 0 vs. NICK DIAZ 26 - 8 - 0

Carlos Condit 28 - 6 - 0 vs. Rory MacDonald 14 - 1 - 0

Johny Hendricks 14 - 1 - 0 vs. Jake Ellenberger 28 - 6 - 0

Darren Elkins 15 - 2 - 0 vs. Antonio Carvalho 15 - 5 - 0

Chris Camozzi 18 - 5 - 0 vs. Nick Ring 13 - 1 - 0

Patrick Cote 18 - 8 - 0 vs. Bobby Voelker 24 - 8 - 0

Jordan Mein 26 - 8 - 0 vs. Dan Miller 14 - 6 - 0

Rick Story 14 - 6 - 0 vs. Sean Pierson 13 - 6 - 0

Daron Cruickshank 12 - 2 - 0 vs. John Makdessi 10 - 2 - 0

Johnny Eduardo 26 - 9 - 0 vs. Yves Jabouin 18 - 8 - 0

Mike Ricci 7 - 3 - 0 vs. Colin Fletcher 8 - 2 - 0

Mitch Gagnon 9 - 2 - 0 vs. Issei Tamura 7 - 3 – 0

Esse sábado (16/03) rola o UFC 158, com o campeão dos meio médios colocando seu cinturão contra Nick Diaz; GSP defende a cinta pela 8° vez e vem como o grande favorito para o duelo, porem Nick é um bom atleta, ex-campeão do Strike Force, faixa preta de Brazilian Jiu Jitsu formado pela Gracie, vem de 11 vitórias e uma derrota polêmica contra Carlos Condit - decisão unânime entre juízes, porém isso foi esquecido porque na mesma semana deu positivo para maconha e sofreu suspensão por uso de drogas, resultado que já tinha ocorrido antes, segundo o próprio Dana White (presidente do UFC), se tiver outro doping, Nick será demitido do UFC!

Tem tudo para ser uma luta bem movimentada, tanto em cima como no chão, mas é provável que o resultado venha por pontos e chegue aos cinco rounds!

E para quem ainda não sabe, domingo começa o TUF Brasil 2, com Minotauro x Werdum, na Globo. Ainda não anunciaram o horário certo, mas será em torno das 23h as 23:30h.

Expectativas para o UFC 157

Por: Ivo Gomes

Evento: UFC 157 Rousey vs. Carmouche
Data: 23 de fevereiro de 2013
Horário Brasil: 21:35 – Card Preliminar e 01:00 Card Principal
Local: Honda Center em Anaheim, Califórnia, EUA
Transmissão Brasil: Canal Combate

CARD PRINCIPAL:

RONDA ROUSEY (6 - 0 – 0) vs. LIZ CARMOUCHE (7 - 2 – 0)

Lyoto Machida (18 - 3 – 0) vs. Dan Henderson (29 - 8 – 0)

Urijah Faber (26 - 6 – 0) vs. Ivan Menjivar (25 - 9 – 0)

Brendan Schaub (8 - 3 – 0) vs. Lavar Johnson (17 - 6 – 0)

Chad Mendes (13 - 1 – 0) vs. Manny Gamburyan (12 - 7 – 0)

Josh Koscheck (17 - 6 – 0) vs. Robbie Lawler (19 - 9 – 0)

CARD PRELIMINAR:

Court McGee (14 - 3 – 0) vs. Josh Neer (33 - 12 – 1)

Neil Magny (7 - 1 – 0) vs. Jon Manley (7 - 1 – 0)

Michael Chiesa (8 - 0 – 0) vs. Anton Kuivanen (17 - 5 – 0)

Sam Stout (18 - 8 – 1) vs. Caros Fodor (7 - 2 – 0)

Dennis Bermudez (9 - 3 – 0) vs. Matt Grice (15 - 4 – 0)

Kenny Robertson (11 - 2 – 0) vs. Brock Jardine (9 - 2 – 0)

TRAILER OFICIAL: http://www.youtube.com/watch?v=BVlB4o5rm70

Esse UFC marca a estréia das mulheres no maior evento de MMA do mundo. Até metade do ano passado o mandatário do “show”, Dana White, era totalmente contra a luta de mulheres, mas vendo o crescente mercado feminino, acabou voltando atrás!

O único peso feminino até o momento, é o peso galo, até 65 kilos, com 6 atletas:

Ronda Rousey, Liz Carmouche, Miesha Tate, Cat Zingano, Sara McMann, Alexis Davis.

Sobre a luta, Ronda vem como a favorita para o combate, além de sua beleza, que é a primeira coisa que todos notam, ela venceu suas 6 lutas no profissional com chaves de braço (arm lock).
Mesmo com toda a expectativa em torno das mulheres, o UFC está sendo bem criticado, pois a luta feminina ficou como a principal da noite, tomando a frente do combate Lyoto x Hendo, o que com certeza, é uma  luta muito mais esperada pelos fãs de MMA. Ambos são trocadores natos, queridos pela grande maioria, e sem contar que muitos nem sabem o que esperar da luta das meninas!

Sobre os meios pesados, Hendo seria o próximo desafiante do cinturão (que está nas mãos de Jon Jones), mas devido a uma lesão, ele não pode lutar e como uma forma de punição, terá que fazer essa luta extra contra o Dragão (sim, Dana White ficou bravo porque o Hendo se machucou em cima do dia da luta e pela primeira vez, cancelou um UFC, arcando um enorme prejuízo), mesmo Hendo vindo de 4 vitórias, a última contra Shogun e uma outra contra o ex número um do mundo Fedor Emelianenko, as casas de apostas estão apontando nosso atleta “brazuca” como o favorito e é bem provável, que o vencedor tenha a chance de brigar pelo cinturão.

Um detalhe da luta é que Lyoto é muito bom em aplicar nocautes e Hendo, nunca foi nocauteado, mesmo lutando com atletas de mãos pesadas e tendo 42 anos... Resumindo, uma super luta para fã nenhum botar defeito!

Brasil mostra sua força no UFC 156

Por: Gleidson Venga (Espn.com)

A noite de 02 de fevereiro era muito tensa para o Brasil e poderia terminar mal se alguns favoritos confirmassem as apostas, se uma zebra brilhasse e se um estrategista conseguisse se impor. 

Tudo isso parou no “se”.

O melhor de tudo nas lutas principais do UFC 156 foi o Brasil mostrando sua força no MMA e exibindo uma série de virtudes.

TALENTO: São poucos os lutadores tão talentosos quanto José Aldo. Mãos rápidas, chutes fortes, excelente defesa de quedas, muita confiança, um chão de faixa preta da Nova União (que nem foi preciso demonstrar) e uma versatilidade que impressiona. José Aldo dominou a luta contra Frankie Edgar e comprovou que reina absoluto na categoria de penas do UFC. Neste peso, definitivamente, não tem pra ninguém.

CHÃO: Demian Maia é um lutador de Jiu-Jitsu acima da média, e em sua carreira no MMA conseguiu mostrar toda sua habilidade em várias de suas lutas. No duelo contra Jon Fitch, soube usar a Arte Suave para anular a maior arma de seu oponente, o controle de chão. Fitch não se encontrou e frustrou-se com o domínio que Demian impôs durante a luta. O brasileiro se firma de vez como um dos grandes nomes da categoria de meio-médios. 

ESTRATÉGIA: Minotouro usou uma estratégia perfeita para derrotar Rashad Evans. Habilidoso no Boxe, o brasileiro andou sempre pra cima, defendeu bem as quedas, conectou bons golpes em pé e sequer precisou usar seu jogo de chão. Rashad não se encontrou com a boa movimentação de Minotouro e o Brasil faturou mais uma vitória.

SUPERAÇÃO: Antonio Pezão é apadrinhado no MMA por Rodrigo Minotauro, o maior sinônimo de superação na história do esporte. E seu coração na luta contra Alistair Overeem parecia o de seu “padrinho”. O holandês provocou Pezão durante toda a preparação para a luta, subestimou o brasileiro, que era cotado como a grande zebra da noite. Durante a luta, Overeem começou bem, parecia confiante, mas em nenhum momento conseguiu abater Pezão. No terceiro round, o paraibano disparou uma série de golpes em Alistair, que foi nocauteado para surpresa de muitos presentes ao Mandalay Bay. 

A noite foi tensa, não deram moleza para os brasileiros, mas os atletas responderam bem aos desafios. Somente Gleison Tibau acabou derrotado. Na ultima preliminar do show, foi superado pelo duro Evan Dunham. 

Uma noite histórica!

Roy brilha e aplica primeira derrota a Matt Mitrione por nocaute!

Por: Luis Fernando / Lucas Mergel

O combate foi muito bom, varias trocas de jabs, e foi em um desses que Roy conseguiu a vitória aos 2 minutos e 58 segundos.

No discurso pós-luta, Roy desabafou, dizendo que não queria nocautear Matt no último round, para dizer aos críticos que ele é capaz de aguentar 5 rounds.

Na grande final do TUF, Colton Smith venceu na decisão unânime, em uma luta bem fraca. Com a vitória, Colton garantiu o seu contrato com o UFC.

Também tivemos brasileiros presentes, Hugo Viana e Marcos Vinicius representaram o país. Porém, só Hugo venceu, e foi uma bela vitória - logo aos 4 minutos e 5 segundos do primeiro round. Marcos Vinicius foi muito apático, não conseguiu repetir sua atuação diante de Wagner Galeto – sendo assim, Bedford se aproveitou e o nocauteou no segundo round.

Resultados do TUF Finale:

CARD PRINCIPAL

Roy Nelson venceu Matt Mitrione por nocaute no primeiro round.

Colton Smith venceu Mike Ricci por decisão unânime dos jurados.

Pat Barry venceu Shane Del Rosário por nocaute no segundo round.

Dustin Poirier venceu Jonathan Brookins por finalização no primeiro round.

CARD PRELIMINAR

Mike Pyle venceu James Head por nocaute no primeiro round.

Johnny Bedford venceu Marcos Vinicius "Vina" por nocaute no segundo round.

Rustam Khabilov venceu Vinc Pinchel por nocaute técnico no primeiro round.

TJ Waldburger venceu Nick Catone por finalização no segundo round.

Hugo Wolverine vence Ruben Duran por nocaute no primeiro round.

Mike Rio venceu John Cofer por finalização no terceiro round.

Tim Elliott venceu Jared Papazian por decisão unânime dos jurados.

Maurício Shogun pronto pra batalha - UFC on Fox 5

Por: Luis Fernando

Maurício “Shogun” Rua está pronto para enfrentar Alexander Gustafsson. Depois de fazer treinos com os campeões mundiais de Jiu-Jitsu com Sérgio Moraes e Léo Nogueira, durante três meses, Shogun está bem preparado para luta no chão.

“Estou embarcando com dois grandes nomes do Jiu-Jitsu mundial, que me ajudaram muito durante todo o camp, então o chão pode ser um bom caminho para essa luta. Só sei que vou lutar bem, independente de onde a luta se desenrole”, disse o lutador à revista Tatame.

O brasileiro está muito confiante e garantiu que não esqueceu o seu forte jogo em pé.

“O Gustafsson é um cara duro, que eu respeito muito, mas vou fazer o que sempre fiz em minhas lutas, que é partir para dentro”.

A luta de Shogun acontece nesse Sábado (8), que ainda contará no main-event com a grande luta entre Bem Henderson e Nate Diaz e a volta de BJ Penn contra MacDonald.

Card Principal

Henderson vs. Diaz

Rua vs. Gustafsson

Penn vs. MacDonald

Swick vs. Brown

Card Preliminar

Edwards vs. Stephens

Assuncao vs. Easton

Nijem vs. Proctor

Cruickshank vs. Martinez

Means vs. Trujillo

Siver vs. Phan

Jorgensen vs. Albert

#UFC144 - Cadê o favoritismo?

Por: Raí Monteiro e Lucas Mergel

O UFC 144 tinha em seu card principal ótimas lutas; combates duros e com muito vigor! Pettis, Hioki, Boetsch e Shields venceram Lauzon, Palaszewski, Okami e Akiyama nas lutas iniciais do card principal. Logo após vieram as três lutas mais esperadas!

Cheick Kongo, francês, era o grande favorito contra o pouco técnico Hunt. No co-main event tínhamos um Bader com força e raça e um Rampage que não estava 100%. E na grande luta da noite víamos o cinturão de Edgar arriscado por Henderson!

Confira como foram as lutas:

Mark Hunt vs. Cheick Kongo – Atropelado

Kongo vinha de duas vitórias seguidas, e era favorito, Hunt vinha de três vitórias, mais não era uma unanimidade.

Aos 2:11 com uma sequência de golpes de direita, Hunt nocauteou Kongo. Vencendo sua sétima luta, quarta seguida. Hunt agora tem um cartel de 8-7-0.

Ryan Bader vs. Rampage Jackson – O óbvio aconteceu

Muito fora de forma, Rampage Jackson perdeu o co-main event do UFC 144, em decisão unanime de 30-27 para Bader.

No primeiro round, pouco contato, e alguns golpes, conectados por Bader. Já no segundo, Rampage encaixou ótimo golpe, mais Bader tomou á frente da luta, novamente, usando um bom wresting. E no terceiro Bader administrou a sua segunda vitória seguida, deixando seu cartel com 15-2-0.

Frankie Edgar vs. Bem Henderson – O novo campeão

No main-event da noite, Edgar defendia seu cinturão contra Henderson, que mais efetivo, venceu sua quarta luta seguida, e levou pra casa o cinturão dos leves em decisão unanime de 49-46.

Os dois primeiros round foram muito parelhos, uma vitória para cada um, no terceiro Henderson encaixou uma linda joelhada no nariz de Edgar, no quarto Henderson seguiu melhor encaixando uma guilhotina, só no quinto Edgar esboçou alguma reação, tarde demais, Henderson novo campeão dos leves. 

Como vai ser esse #UFC144?

Texto: Gleidson Venga (ESPN.com)

De volta ao Japão após 12 anos, o UFC será realizado neste sábado e contará com o duelo entre Frankie Edgar e Ben Henderson, válido pelo título dos pesos leves do evento, como luta principal da noite.

O site americano Sherdog.com consultou 19 profissionais, que palpitaram sobre a luta pelo cinturão. Edgar leva ligeiro favoritismo, com 11 dos citados lhe apontando como vencedor, contra 07 indicando Henderson, enquanto um entrevistado ficou em cima do muro.

Atleta do Bellator, o catarinense Ricardo Tirloni tem em Henderson o único revés de sua carreira, antes mesmo de o americano fazer carreira no UFC. Tirloni falou que aposta em uma vitória do desafiante.

“Meu palpite é vitória do Ben Henderson, pois ele é um cara de quem você não sabe o que esperar. Frankie Edgar é mais completo, mas Henderson surpreende”, analisou, “Ben ganhou do Jim Miller, o ‘tirou pra nada’. Ganhou do Guida também. Quando perdeu para o Pettis, esteve apático. De repente ele já estava com a cabeça no UFC. E o Ben já não é muito normal, é só ver as entrevistas dele (risos)”.

A pesagem foi realizada na madrugada desta sexta para sábado, Quinton Jackson foi o único que estourou o limite de sua categoria (em 2kg) e pagará 20% de sua bolsa para Ryan Bader.

O evento terá início às 23hs (horário de Brasília).

Veja abaixo o card completo:

Frankie Edgar vs. Ben Henderson
Ryan Bader vs. Quinton "Rampage" Jackson
Cheick Kongo vs. Mark Hunt
Yoshihiro Akiyama vs. Jake Shields
Tim Boetsch vs. Yushin Okami
Hatsu Hioki and Bart Palaszewski
Joe Lauzon vs. Anthony Pettis
Takanori Gomi vs. Eiji Mitsuoka
Vaughan Lee vs. Norifumi "Kid" Yamamoto
Steve Cantwell vs. Riki Fukuda
Chris Cariaso vs. Takeya Mizugaki
Issei Tamura vs. Tiequan Zhang

#UFC143 - Confira como foi o card principal!

Por: Raí Monteiro

O card principal reuniu 5 lutas, trazendo dois brasileiros -Werdum que enfrentaria Roy Nelson, e Barão que enfrentaria o perigoso Jorgensen. E ambos tiveram êxito.

Vamos as lutas principais:

Josh Koscheck vs. Mike Pierce – Luta fraca, porem vitória merecida. (10-9, 10-9 e 9-10)

Na pesagem Pierce colocou uma peruca igual ao cabelo de Koscheck; o americano ficou com bronca e não tocou as luvas, antes do início da luta, isso era um sinal de luta, dura e franca. Mais não rolou.

No 1º Round, Koscheck foi melhor, Pierce tentou levar a luta pra a grade a todo momento, Koscheck acertou bons golpes, e levou o primeiro round. A luta não empolgava, e ficou longe da disputa acirrada que era esperada.

O 2º Round ainda teve Koscheck um pouco melhor, como alguns golpes, mais “agarração” e luta no chão. Pierce acertou um ótimo jab de direita. Mais o segundo round ficou com Koscheck.

No 3º e último round, enfim Pierce colocou Koscheck para o chão, e foi mais estratégico com bons golpes, Koscheck segurou bem a luta, mais perdeu o round. Mesmo assim ficou com a vitória no final, e agora Koscheck tem um cartel de 19-5-0.

Roy Nelson vs. Fabricio Werdum – A justa vitória brasileira, sobre a lenda. (10-9, 10-9 e 10-9)

Contra a lenda Roy Nelson, o brasileiro Werdum não se intimidou, dominou o combate e venceu por decisão unânime.

O brasileiro começou muito melhor, com bons golpes e joelhadas, Roy parecia meio desnorteado, e ficou ainda mais, quando Werdum acertou uma linda joelhada no nariz de Roy, que abriu um corte profundo, atrapalhando o americano durante toda a luta. O brazuca venceu o primeiro round.

No segundo round a luta foi mais parelha, com Roy bem por cima e Werdum com a mesma estratégia, golpes rápidos e eficientes. Roy se mostrou melhor, o brasileiro tirou onda com Roy, mais foi repreendido pelo seu técnico.

E no último round, Werdum bem cansado, conectou bons golpes e teve o controle da luta, Roy tentou uma guilhotina mais não teve sucesso. Vitória do brasileiro que chega a seu 15º triunfo.

Nick Diaz vs. Carlos Condit – Uma luta muito estranha!

No “Main-Event” da noite, Diaz e Condit fizeram um duelo bem estranho que acabou com vitória de Condit, e um pedido de “demissão” de Diaz.

No primeiro round Diaz tentou golpes de boxe, e foi encurralando Condit aos poucos. Mas, Diaz “brincou” demais neste primeiro round e a todo momento abaixava a guarda, fazia caras e bocas para Condit. Mais mesmo assim venceu o primeiro round.

Condit seguia muito comedido, parecia estar tenso, não se soltava, Diaz o “humilhava” com sua cena. Diaz acertou bons golpes e levou também o segundo round.

Vendo essa situação, Condit mudou a postura no terceiro round. Com uma luta mais franca, Condit acertou bons golpes e viu a confiança de Diaz ir minando a cada golpe que o era aplicado.

Nos últimos dois rounds, Diaz levou para o solo e Condit se defendeu muito, muito bem, com o fim a luta, muitos apostavam na vitória de Diaz. Mais os árbitros deram o cinturão interino para Condit, gerando muitas vaias.

Na entrevista final , Diaz declarou, "Se é assim que se joga aqui, estou fora" referindo se a uma possível saída do UFC.

#UFC143 - Confira como foi o card preliminar!

Por: Lucas Mergel

Na noite/madrugada deste sábado (04/02) tivemos mais um UFC indo ao ar. Tínhamos ótimas lutas, tanto no card preliminar como no card principal. No card preliminar poderíamos destacar a luta do brasileiro Rafael "Sapo" Natal que lutaria contra o bom e estreante Michael Kuiper.

Confira as lutas do card preliminar:

Stephen Thompson vs. Dan Stittgen

Era uma luta entre dois estreantes no UFC. Melhor pro meio-médio Thompson que nocauteou seu adversário ainda no 1° round com um belo chute lateral. A luta estava muito travada desde então, porém Thompson parecia mais a vontade no octógono; Stittgen era mais receoso, e pouco fazia contra o seu oponente; não deu outra -derrota.

Rafael "Sapo" Natal vs. Michael Kuiper

Rafael Natal era o favorito pra luta, mesmo porque seu oponente era estreante no UFC. Porém, Kuiper é bom lutador, muito perigoso, muito duro no combate -estava invicto até então. O mineiro começou melhor e logo no 1° round teve chances de finalizar o holandês, porém Kuiper se portava bem e não dava chances pra ser batido, tão facilmente.

Durante a luta toda víamos Kuiper desferindo belos golpes, inclusive um potente soco no 3° round, que deixou o brasileiro tonto. Inclusive depois que acabara a luta ele deu a entrevista e falou "- Fiquei mal, vi tudo preto, mas voltei bem por causa do meu jiu-jitsu. Mostrei que sou brasileiro e não desisto nunca. Provei que a gente é bravo mesmo - vibrou o brasileiro, ainda dentro do octógono".

E foi exatamente isso. Com seu jiu-jitsu afiado, o brasileiro se reergueu no 3° round e dominou até o final, vencendo por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27 e 29-28).

Matt Riddle vs. Henry Martínez

A diferença de altura entre os lutadores era gritante. Riddle, bem mais alto e mais experiente no UFC enfrentava o estreante e duro Martínez. No 1° round a altura não disse nada e Martínez dominou -foi mais incisivo e conseguiu encaixar belos golpes no seu oponente.

Porém, no 2° e 3° round vimos Riddle mostrar sua ótima luta em pé e lassim evou a melhor pra cima de Martínez. Decisão dividida dos juízes (28-29, 29-28 e 29-28).

Matt Brown vs. Chris Cope

Brown vinha de 4 derrotas nas suas últimas 5 lutas. Precisava vencer. E fez isso! Nocauteou seu oponente -Cope. Sequência grande de socos. Cope não pôde fazer nada; Kim Winslow foi obrigada a interromper a luta pra dar vitória ao americano Brown.

Edwin Figueroa vs. Alex Caceres

A luta foi marcada por dois golpes baixos que Caceres desferiu em Figueroa, assim perdendo 2 pontos na contagem final. E certamente esses 2 pontos fizeram a diferença para que Caceres perdesse a luta.

Tivemos uma luta bem parelha, onde Caceres foi um pouco superior, mas não o necessário para tirar 2 pontos de desvantagem. Resultado: Figueroa venceu por decisão dividida dos juízes (28-27, 27-28 e 28-27).

Dustin Poirier vs. Max Holloway

Poirier talvez nem fosse o favorito para luta, mesmo porque Holloway estava invicto até o momento, porém dentro do octógono foi tudo diferente. Poirier foi dominante e ainda no 1° round finalizou seu oponente com um triângulo seguido por uma chave de braço.

Ótima finalização!

Bom, essas foram as lutas do card preliminar. Ótimas lutas. Tivemos nocautes, finalizações e decisão nas mãos dos juízes - tudo o que um fã de MMA gosta de ver! Gostou? Deixe seu comentário AQUI ou entre em contato pelo TWITTER.

Sem lutas empolgantes, UFC on Fox 2 vê Sonnen e Evans vencerem, desafiando Spider e Jones respectivamente!

Por: Felipe Ferreira

Em uma noite não muito empolgante, em que as lutas não atingiram o nível esperado e nada demais aconteceu, o UFC On Fox viu a lógica funcionar. Chael Sonnen quase foi surpreendido por Michael Bisping, mas venceu o britânico e agora, deve enfrentar Anderson Silva no UFC a ser realizado em São Paulo no mês de junho. Já Rashad Evans, não encontrou maiores dificuldades e venceu Phil Davis, devendo agora encarar Jon Jones em abril.

No card preliminar, não tivemos maiores surpresas. Os destaques ficaram por conta da luta da noite entre Evan Dunham e Nik Lentz, além do combate do brasileiro Charles Oliveira, o Charles do Bronx’s, além do grande nocaute de Lavar Johnson.

Bem, vamos aos destaques da noite.

Card preliminar:

Logo no início da noite, Lavar Johnson mostrou que vem com tudo no UFC. Agressivo e explosivo desde o início do combate, o lutador não decepcionou e com uma excelente sequência de socos, acabou por nocautear Carlos Beltran, lutador bastante duro, que acaba por sofrer o seu primeiro nocaute na carreira.

Em outra luta de destaque do card preliminar, o brasileiro Charles Oliveira (foto) fazia sua estreia entre os penas e buscava sair de um jejum de três lutas sem vencer, com isso tudo, o Charles do Bronx’s, como é conhecido, mostrou que vem com tudo em sua nova categoria. Lutando de maneira intensa e explosiva, o brasileiro encaixou uma belíssima chave de panturrilha, que lhe rendeu o prêmio de finalização da noite.

Seguindo comentando sobre o card preliminar e fechando os pitacos de tal parte do evento, impossível não citar a grande luta entre Evan Dunham e Nik Lentz. Em um combate bastante equilibrado, Dunham se soltou mais, encaixou excelentes golpes e fez Lentz acabar desistindo ao fim do 2° round. Mas, de fato, essa foi a melhor luta da noite, uma das poucas em que pudemos ver ambos lutadores lutando de maneira ousada.

Card Principal:

Abrindo as lutas principais, Demian Maia encarou Chris Weidman, invicto no UFC. E o brasileiro estava completamente irreconhecível. Buscando manter a luta na trocação, onde peca um pouco, Demian se viu dominado por Weidman. Em nenhum momento, o brasileiro buscou levar a luta pro chão, situação em que é muito forte. No fim, merecida vitória do americano por decisão dos jurados em uma luta apática.

Após tal combate, tivemos o falastrão Chael Sonnen encarando Michael Bisping. Em uma luta que parecia ser vencida facilmente pelo desafeto de Anderson Silva, vimos Bisping endurecer e equilibrar bem o combate. Após dois primeiros rounds bastante equilibrados, Sonnen conseguiu um domínio maior no terceiro, onde acabou por garantir, na decisão dos jurados, a vitória. Porém, segundo o todo-poderoso Dana White, tal resultado é controverso e que ele daria vitória para Bisping.

Na luta principal, Rashad Evans e Phil Davis fizeram um combate morno. Sem estar no ápice da sua forma, Evans dominou Davis nos cinco rounds e em um combate morno, o antigo campeão dos meio-pesados acabou por vencer e agora deve enfrentar Jon Jones.

Estes foram os principais destaques do morno UFC On Fox 2. Agora, o próximo evento do UFC, já se dá no próximo sábado com a edição de número 143, que tem como maior destaque o confronto entre Nick Diaz e Carlos Condit, que disputam o título de campeão interino dos meio-médios.

Todos os resultados do UFC On Fox 2:

Rashad Evans venceu Phil Davis na decisão dos jurados;

Chael Sonnen venceu Michael Bisping na decisão dos jurados;

Chris Weidman venceu Demian Maia na decisão dos jurados;

Evan Dunham venceu Nik Lentz por interrupção médica no intervalo entre o 1º e 2º round

Mike Russow venceu John-Olav Einemo por decisão unânime

Cub Swanson venceu George Roop por nocaute técnico aos 2:22min do 2º round

Charles Oliveira venceu Eric Wisely com uma chave de panturrilha a 1:43min do 1º round

Michael Johnson venceu Shane Roller por decisão unânime

Lavar Johnson venceu Joey Beltran por nocaute técnico aos 4:25min do 1º round

Chris Camozzi venceu Dustin Jacoby com uma guilhotina a 1:08min do 1º round

Uma pequena prévia do UFC on Fox 2!

Por: Raí Monteiro e Lucas Mergel

Esta noite teremos o UFC on Fox 2, na cidade de Chicago, EUA. Esse evento servirá para sabermos quem serão os desafiantes de Anderson Silva e Jon Jones pela briga do cniturão.

Na luta principal teremos Rashad Evans vs. Phil Davis, se Evans vencer ganha o direito de enfrentar Jones na disputa do cinturão dos meio-pesados. Na divisão dos médios teremos o polêmico Sonnen vs. Bisping; quem vencer pegará Spider na disputa do cinturão.

- Data: 28 de Janeiro de 2012
- Horário BR: 20:00 (Card Preliminar) – Horário de Brasília
- Local: United Center em Chicago, Illinois, EUA

Card Principal:

Rashad Evans vs. Phil Davis
Chael Sonnen vs. Michael Bisping
Chris Weidman vs. Demian Maia

Card Preliminar:

Evan Dunham vs. Nik Lentz
Mike Russow vs. John-Olav Einemo
Cub Swanson vs. George Roop
Charles Oliveira vs. Eric Wisely
Michael Johnson vs.Shane Roller
Joey Beltran vs. Lavar Johnson
Chris Camozzi vs. Dustin Jacoby

Confira aqui o vídeo da pesagem: www.youtube.com/watch?v=crf7epAeLug

UFC 142 - Card principal, a noite do Brasil no UFC!

Por: Raí Monteiro

A noite sem dúvidas foi brasileira, no UFC Rio, o de número 142, no “Card Principal” foram 5 lutas e 5 vitórias de brasileiros: dois nocautes, duas finalizações e uma desclassificação (a única nota “triste” da noite).

Vamos ás lutas:

Edson Barboza vs. Terry Etim – O Nocaute da noite

A luta do brasileiro contra o inglês foi a primeira do Card Principal. No primeiro round Barboza não forçou muito a luta, mais teve o controle e o número de golpes conectados, já Etim tentou a todo momento levar a luta para o chão. 10-9 Barboza no primeiro round.

No segundo round, a luta transcorreu toda em pé, o brasileiro seguiu melhor, com golpes mais potentes, Etim resolver “cozinhar” a luta. 10-9 Barboza no segundo round.

Mais no terceiro round, aos 2:02 minutos de luta, Edson Barboza virou um chute alto na cara de Etim , espetacular, que fez o inglês se estatelar no chão. Barboza garantiu sua décima vitória seguida, e segue invicto no UFC.

Erick Silva vs. Carlo Prater – A Injustiça da noite

A luta entre os brasileiros, Erick Silva e Carlo Prater, gerou muita discussão, mesmo sendo entre dois brasileiros. A luta mal começou e Erick Silva já foi pra cima, e literalmente atropelou Prater com uma seqüência de socos espetaculares, Prater não resistiu e caiu, então Yamasaki terminou a luta. Erick Silva saiu comemorando, mas o árbitro brasileiro deu a vitória para Prater, alegando golpes ilegais de Erick.

Na entrevista após luta, até o repórter do UFC disse a Erick Silva que não havia entendido a desqualificação, gerando muitas vaias na Arena.

Rousimar Toquinho  vs.  Mike Massenzio – Jiu Jitsu

Toquinho iniciou a luta contra Massenzio com muitos chutes por dentro, e logo conseguiu colocar o americano para baixo, onde conseguiu finalizar com uma chave de perna ótima, golpe esse que é do Jiu Jitsu onde o Toquinho é faixa preta.

Vitor Belfort vs. Anthony Johnson - Pesou a experiencia

Em um das principais lutas da noite, Belfort lutou contra Anthony Johnson que na sexta-feira não bateu no peso. No começo da luta Johnson conseguiu levar a luta para o chão, ficando sempre por cima do brasileiro, que fechando bem a guarda evitava golpes mais contundentes do americano.

A todo o momento a luta voltava para o chão, e ficava “neutra”, então o árbitro tinha de recomeçar a luta em pé. Mais o americano desengonçado, vinha de qualquer forma, então Vitor conseguiu o controle novamente e colocou o americano para baixo, montou e armou um mata-leão, e conseguiu encaixar, então Johnson bateu, e a luta acabou, para delírio da Arena lotada no Rio.

José Aldo vs. Chad Mendes – Nos braços do povo

Então havia chegado a hora mais esperada, a da disputa pelo cinturão entre, Aldo e Mendes, mais um Brasil vs. Estados Unidos.

Na sua característica, de chutes fortes, José Aldo começou melhor a luta, Chad especialista em wrestling buscava levar Aldo para o chão. No finzinho do primeiro round, Chad travou Aldo na grade tentando levar o brasileiro para o chão de costas, Aldo se defendeu, se defendeu, e quando conseguiu virar deu uma joelhada espetacular na cara de Chad.

A luta acabou de forma sensacional, Aldo quebrou o protocolo e foi para a galera, literalmente para os braços do povo na Arena da Barra.

UFC 142 - O atropelamento dos brasileiros no card preliminar!

Por: Lucas Mergel

O UFC 142 tinha um card com muitos brasileiros, mesmo porque o evento foi novamente no Rio de Janeiro, como no UFC 134 (primeira vez que o evento veio ao Brasil). Enfim, no card preliminar tivemos as seguintes lutas:

Felipe "Sertanejo" Arantes vs. Antonio "Pato" Carvalho

O brasileiro começou bem desde o início, tentando levar a luta em pé. Na trocação era mais forte, e quando tinha que se virar no chão, o canadense vinha um pouco melhor. Tivemos 3 rounds muito duros, e a decisão foi para os juízes! Fim de luta: Sertanejo ganhou por decisão unânime (29-28).

Ricardo Funch vs. Mike Pyle

O americano era o favorito, claramente. E não foi diferente dentro do octagon. O brasileiro começou bem, mas logo foi dominado por Pyle. O americano demorou apenas 1:22 para finalizar a luta. TKO (com socos e joelhadas). Uma pena pro brasileiro!

Yuri "Marajó" Alcântara vs. Michihiro Omigawa

A luta mais dura entre todas! Marajó foi totalmente dominante sobre o japonês, desde o príncipio usando bons golpes diretos no rosto do adversário, assim cansando o oponente. No primeiro round Yuri teve a chance de finalizar com um mata-leão, que não foi bem sucedido. No segundo round o brasileiro também foi dominante, porém não conseguiu a finalização, mesmo porque o japonês era muito duro e resistente!

No último round o brasileiro cansou, e o japonês tentou algo, mas sem sucesso. Vitória do brasileiro na decisão unânime dos juízes (30-27/29-28/30-27).

Gabriel "Napão" Gonzaga vs. Ednaldo "Lula" Oliveira

Ednaldo fazia sua estréia no UFC e já pegaria Napão, que é reconhecido internacionalmente e tem um potencial indiscutível. Napão era o favorito, porém a crítica via com bons olhos o lutador Lula.

Enfim, Ednaldo entrou um pouco nervoso na luta; não encontrava a distância certa para encaixar os golpes em seu oponente. E em uma falha técnica sua, Napão se aproveitou e conseguiu o derrubar. Foi o xeque-mate. Com 3:22 tivemos o estrangulamento e a vitória justa de Napão sobre Lula.

Thiago Tavares vs. Sam Stout

Luta de três rounds, onde a igualdade entre os lutadores foi tamanha. O brasileiro teve o seu melhor momento no primeiro round, onde acertou bons golpes e quase levou a luta. O segundo round foi de total equilíbrio e o último round foi do canadense! Talvez o empate seria o resultado mais plausível para um luta onde a igualdade foi tão clara.

No fim, deu Tavares por decisão unânime dos juízes (29-28/29-28/29-28). Algumas pessoas da crítica viram uma pequena vantagem para o canadense, e acharam que o resultado final teve a influência de que o evento era no Brasil.

Bom, o card preliminar foi assim! Tivemos 6 brasileiros, onde apenas uma luta foi Brasil vs. Brasil (Napão vs. Lula). Saldo: 5-1 para o Brasil #GoBrasil

Deixe seus comentários AQUI ou venha bater um papo conosco pelo TWITTER (blog), TWITTER (pessoal).